Benefícios do adoçante de estévia (Stevia rebaudiana)

O adoçante natural de estévia é proveniente da Stevia rebaudiana, planta que cresce selvagem em partes do Paraguai e do Brasil. Suas folhas contêm um glicosídeo chamado esteviosídeo, que é incrivelmente doce.

Benefícios do adoçante de Stevia rebaudiana

A estévia, apesar de ser uma descoberta relativamente recente na indústria farmacêutica e alimentícia, é usada como adoçante natural há séculos por várias populações. Recentemente, ganhou popularidade como um substituto do açúcar natural e por possuir benefícios que ajudam potencialmente a perder peso. Os glicosídeos de estévia não são metabolizados pelo organismo, tornando-a um alimento com zero calorias. Processada, pode ser centenas de vezes mais doce que o açúcar, em forma de líquido ou pó.

É adicionada a bebidas e alimentos não cozidos, além de ser capaz de substituir o açúcar na panificação. A Stevia rebaudiana é uma excelente alternativa para pacientes com diabetes que desejam consumir alimentos doces sem que sejam sentidos os efeitos adversos do açúcar. Um estudo de 2010 publicado no jornal Appetite descobriu que pessoas que consumem estévia não sentem mais fome ou vontade de consumir mais açúcar do que as pessoas que consomem o açúcar tradicional (proveniente da cana-de-açúcar).

Benefícios do adoçante de estévia para diabéticos

Segundo estudos, os diabéticos podem usar com segurança os adoçantes artificiais, como a estévia, porque eles não afetam os níveis de açúcar no sangue. A estévia ajuda a regular o açúcar no sangue, reduzindo a sensação de fome quando 10 ou 15 gotas são tomadas cerca de 20 minutos antes das refeições.

A estévia está disponível em sachês, pó, líquido claro (adoçantes em gotas) e esteviosídeos puros, sendo que cada possui suas orientações adequadas para o uso. Se você estiver usando estévia pela primeira vez, certifique-se de seguir as instruções na embalagem. A estévia em pó pode ser de 4 a 15 vezes mais potente do que o açúcar.

Referências:
Anton, Stephen D., et al. “Effects of stevia, aspartame, and sucrose on food intake, satiety, and postprandial glucose and insulin levels.” Appetite 55.1 (2010): 37-43..

Comentários

Comentar