Bardana: benefícios e propriedades medicinais

A bardana (Arctium lappa) é uma planta medicinal também conhecida como bardana-maior, baldrana, carrapicho-de-carneiro, carrapicho-grande, erva-dos-tinhosos, gobô, gobou, labaca, lapa, orelha-de-gigante, pegamassa, pegamoço, pega-nossa, perga-massos, pega-masso, ruibarbo-cigano, burdock e cockebleur (inglês), dentre outros nomes populares. Pertence à família das Asteraceae.

Benefícios da bardana

A raiz de bardana é muito popular dentro da culinária asiática, vez que é um dos principais itens da Dieta Macrobiótica. A bardana é muito utilizada tanto na medicina alternativa do ocidente como do oriente. A raiz é um potente desintoxicante e as sementes são indicadas para o tratamento de diferentes tipos de distúrbios, incluindo irritações na pele, gripes e resfriados. Os níveis de arctigenina na planta ajudam a melhorar a capacidade cognitiva dos seres humanos, além de ser um poderoso antiviral para o tratamento do influenza A.

As folhas são constantemente usadas como componentes de cataplasmas para o tratamento de distúrbios na pele graças a sua ação bactericida. Estudos já provaram que a bardana é um excelente antisséptico natural, indicado sobretudo para o tratamento de picadas de insetos e picadas de aranha. Além antisséptica, possui efeito anestésico e anti-inflamatório. A bardana é usada como medicamento natural para distúrbios gástricos e intestinais, tais como prisão de ventre.

A bardana ajuda na eliminação de ácido úrico. A erva contém poliacetilenos com propriedades antibacterianas e antifúngicas. Melhora a função de órgãos como o fígado, rins e intestinos, além de proporcionar uma melhora geral nas condições de saúde. O suco da bardana é consumido na medicina alternativa para libertar o corpo de sarnas e óbolos. O banho de ervas é indicado popularmente para juntas doloridas e gota. Compressas são feitas para inchaços glandulares, inchaços no joelho, deslocamentos e contusões. Enxaguar o cabelo com a erva combate a caspa. A aplicação na face ajuda a tirar a oleosidade da pele. As folhas são aplicadas para combater lombrigas. No Havaí, as raízes da erva são apreciadas por seus poderes afrodisíacos.

Como preparar a bardana

A maneira mais popular de se utilizar a bardana é em forma de chá. É possível fazer a bebida de duas maneiras. Na primeira delas, se deve ferver uma colher de folhas e flores secas em um litro d’água. A segunda maneira é fervendo de 2 a 6 g de raízes secas com casca em um litro de água. Nos dois modos o ideal é consumir uma xícara três vezes ao dia. O chá deve ser feito sempre com a bardana de forma seca, vez que a erva fresca pode causar uma série de reações alérgicas em determinados grupos de pessoas. Além disso, antes de começar a consumir a Arctium lappa deve sempre buscar a orientação de um profissional.

Uso na culinária

Na culinária, as folhas jovens podem ser cozinhadas e comidas. Os talos podem ser descascados e comidos cru ou cozidos como um legume. A raiz é acrescentada a sopas, guisados, frituras e sukiyaki. As raízes podem ser assadas e usadas como um substituto ao café.

Contraindicações e efeitos colaterais da bardana

A maioria dos estudos indicam que há pouquíssimos riscos de se consumir a bardana, exceto em alguns casos em específicos. Pessoas que sofrem de alergias a plantas da família das Asteráceas (girassol e margarida, por exemplo), podem sofrem algumas reações alérgicas caso a consumam. Em casos extremos, o consumo de grandes quantidades pode ocasionar irritações na pele e olhos e, até mesmo, convulsões e parada respiratória.

História e curiosidades

A Arctium lappa é originária da Eurásia e pode atingir até dois metros de altura, sendo cultivada em regiões com clima temperado. No Brasil , a bardana é muito popular, principalmente em feiras livres das regiões Sul e Sudeste devido à influência dos imigrantes e descendentes de japoneses. Normalmente, a sua raiz é a parte mais consumida, vez que possui uma série de nutrientes, incluindo fibras, e possui um baixíssimo índice de calorias. Por conta disso é considerado um dos principais alimentos da Dieta Macrobiótica.

A bardana vem sendo usada há séculos por diferentes povos. Os gregos usavam a planta como um medicamento natural para diferentes tipos de enfermidades. O suíço George de Mestral, inventor do velcro, colocou os carrapichos da bardana em seu cachorro e observou em sua lupa os ganchos curvados minúsculos. Durante a Revolução Industrial, a lapa era utilizada para purificar pessoas que ficavam muito tempo expostas à poluição emanada das indústrias e aliviar o cansaço diário.

Referências:
Duh, Pin-Der. “Antioxidant activity of burdock (Arctium lappa Linne): its scavenging effect on free-radical and active oxygen.” Journal of the American Oil Chemists’ Society.
Zhao, Feng, Lu Wang, and Ke Liu. “In vitro anti-inflammatory effects of arctigenin, a lignan from Arctium lappa L., through inhibition on iNOS pathway.” Journal of ethnopharmacology.
Lin, Song-chow, et al. “Hepatoprotective effects of Arctium lappa on carbon tetrachloride-and acetaminophen-induced liver damage.” The American journal of Chinese medicine.

Comentários

Comentar