Melatonina

Melatonina: o hormônio do sono

A melatonina é um hormônio produzido naturalmente pela glândula pineal, uma glândula endócrina presente em nosso cérebro. Na comunidade científica, a melatonina é conhecida pela denominação química N-acetil-5-metoxitriptamina.

Como funciona a melatonina?

Este hormônio possui características muito peculiares. Seu estímulo ocorre durante a escuridão, sendo então liberado no organismo no período da noite. Quando entramos em contato com a luz, seja ela natural ou artificial, a produção hormonal é interrompida.

Estima-se que um adulto produza, em média, entre 5 e 25 microgramas do hormônio por noite. A melatonina também pode ser encontrada em forma de suplemento, cujas capsulas variam entre 1 a 5 miligramas da substancia.

Benefícios da melatonina

Produzida diariamente pelo cérebro, a melatonina também é indicada em forma de suplemento devido aos seus benefícios surpreendentes. Confira a seguir os principais benefícios deste hormônio que está se tornando cada vez mais popular e admirado ao redor do mundo:

Prevenção e tratamento da enxaqueca

A melatonina é capaz de reduzir crises de enxaqueca devido ao seu poder anti-inflamatório, responsável por aliviar a intensidade da dor. Para quem sofre de enxaqueca frequente, o ideal é consumir a melatonina através de suplementos a fim de complementar a quantidade de hormônio no organismo.

Promove a qualidade do sono

A melatonina é altamente indicada para pessoas que sofrem de insônia, seja ela proveniente do dia-a-dia no trabalho, de viagens ou de qualquer estresse do cotidiano. Isso porque o hormônio possui propriedades que promovem um padrão de sono saudável a longo prazo. Sua intervenção na qualidade do sono também é oriunda do seu poder anti-inflamatório e antioxidante.

Esse poder também atua diretamente em distúrbios do sono provocados pela diferença de fuso horário. Há muitos indivíduos que, ao viajarem para um local com fuso horário divergente do seu país de origem, levam alguns dias para retornar ao seu padrão de sono normal. Com o consumo da melatonina é possível manter os horários normais de sono com maior facilidade.

Estudos comprovaram que a melatonina também age de forma eficaz em distúrbios ainda mais graves, como é o caso da Síndrome da Fase Atrasada do Sono (SAFS). Esta síndrome é caracterizada pela dificuldade em dormir durante a noite mesmo sem a presença de perturbações que impeçam o sono.

Antioxidante

Após diversas pesquisas relacionando o poder da melatonina sobre o corpo humano descobriu-se que este hormônio é um poderoso antioxidante. Neste sentido, é capaz de proteger as células que compõem o organismo dos danos ocasionados pelos radicais livres.

Além disso, foi detectado que as células possuem grande poder de absorção da melatonina, sendo ela muito eficaz na proteção do cérebro contra doenças neurodegenerativas, tais como o Mal de Alzheimer, Mal de Parkinson e Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Outros benefícios da melatonina

Grandes benefícios também foram identificados com relação à degeneração macular. É possível que as propriedades antioxidantes da melatonina atuem positivamente sob a retina. Também foram verificados alguns resultados positivos no que se refere à ansiedade, onde pacientes que consumiram do suplemento relataram significativa melhora em seus quadros de ansiedade.

Alguns estudos estão sendo realizados em pacientes com câncer e com glaucoma. Acredita-se que as propriedades terapêuticas do hormônio podem apresentar resultados positivos em ambas as enfermidades.

Contraindicações e efeitos colaterais da melatonina

Alguns efeitos colaterais foram detectados em pacientes que estiveram sob tratamento da melatonina. Entre eles estão a sonolência diurna, que pode ser facilmente corrigida através do consumo de doses menores de suplemento. Contudo, indivíduos que executam trabalhos pesados e dirigem com frequência devem consumi-la com extrema cautela.

Também foram observados casos de sonambulismo e alterações dos sonhos. Estes casos foram detectados em algumas situações onde houve o consumo excessivo da melatonina em suplemento.

Alterações hormonais também foram identificadas como efeito colateral da melatonina. Os níveis de hormônios luteinizantes e de progesterona são os que mais sofrem alteração. Por essa razão, grávidas, lactantes e mulheres que estão tentando engravidar devem suspender o uso da melatonina. Além disso, consumir o suplemento em excesso nestes períodos pode afetar o desenvolvimento correto do feto ou atuar como um contraceptivo, impedindo a fecundação.

Nos homens, o consumo da melatonina pode acarretar na diminuição do número de espermatozoides, da mobilidade do esperma e também o aumento do tamanho do peito. Também podem apresentar alterações no desejo sexual.

Além disso, deve-se atentar para a interação da melatonina com demais medicamentos, principalmente os antidepressivos, anticoncepcionais e anti-inflamatórios. O ideal é consultar o seu médico para evitar qualquer tipo de reação.

O suplemento também pode interagir com substâncias consumidas diariamente, como a cafeína, álcool e tabaco. Seu efeito pode ser alterado, tornando o seu uso ineficiente.

Referências:
Drugs.com: Melatonin
University of Maryland Medical Center: Melatonin
MayoClinic.com: Melatonin
Life Extension Magazine Online: Melatonin
Melatonin: MedlinePlus Supplements



  • Comentar

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    RESUMO:

    Benefícios, propriedades medicinais e efeitos colaterais da melatonina, hormônio produzido naturalmente pela glândula pineal, presente em nosso cérebro.

    Revisado e atualizado em 23.11.2016.