Blueberry: conheça 10 benefícios do fruto para à saúde

O blueberry (Vaccinum spp.), conhecido no brasil como mirtilo, uva-do-monte, dentre outros nomes populares.

Benefícios do blueberry

A fruta é rica em antioxidantes e nutrientes essenciais, incluindo vitamina A, vitamina C, vitamina B1, vitamina B2, vitamina E e vitamina K, além de cobre, cromo, manganês, zinco e ferro, alcaloides, ácidos carbônicos e um número de componentes fenólicos, como quercetina, antocianinas, taninos, pectina e catequinas importantes para o bom funcionamento de todo o organismo humano. Dentre os benefícios da casca e da polpa do mirtil estão, a capacidade de combater os radicais livres, reduzir colesterol, melhorar a saúde dos olhos, dentre outros.

Conheça os 10 principais usos e benefícios do blueberry para à saúde

1 – Combate o envelhecimento precoce

Os pigmentos antocianos presentes na fruta são substâncias de alto poder antioxidante que trabalham para neutralizar radicais livres que prejudicam o sistema imunológico, desencadeiam muitas doenças degenerativas e são responsáveis pelo envelhecimento precoce. A vitamina C presente no blueberry combate a ação dos raios solares, ajudando assim a evitar a oxidação das células, consequentemente prevenindo o surgimento de rugas e manchas.

2 – Melhora o sistema digestivo e trata infecções urinárias

A vitamina C aumenta várias enzimas digestivas no corpo que desintegram as partículas de alimentos “presas” no estômago e intestinos, melhorando assim o seu funcionamento. O blueberry combate o aparecimento de bactérias nas vias urinárias, aliviando a sensação de queimação e inflamação na bexiga, rins e todo o trato urinário.

3 – Combate o câncer

O blueberry contém pro-antocianidinas, resveratrol, flavonóis e tanino que ajudam a inibir o crescimento de células cancerosas.

4 – Controla o diabetes

Por possuir baixo índice glicêmico, ele regula a glicemia, e o ácido clorogênico presente na frura ajuda a diminuir os níveis de açúcar no sangue e a controlar os níveis de glicose no sangue no diabetes mellitus tipo II.

5 – Acelera a queima de calorias

Por ser uma fruta de baixa caloria e por conter uma grande quantidade de antioxidantes, ele reduz o colesterol ruim e triglicérides do organismo fazendo com que a pessoa emagreça com mais facilidade.

6 – Combate gripes e resfriados

Rico em vitamina C, as cápsulas de blueberry ajudam a aliviar as inflamações de garganta, congestionamento nasal, e se consumido regularmente, ajuda no combate a gripes e resfriados.

7 – Previne das doenças cardiovasculares

Rico em antocianinas que são antioxidantes que reduzem o colesterol LDL e triglicérides, o blueberry impede a formação de placas nas artérias aumentando o fluxo de sangue ao longo do corpo.

8 – Possui ação anti-inflamatória

Um estudo publicado no Journal of Nutrition mostra que o blueberry tem ação de proteção celular e anti-inflamatória, conferindo benefícios ao metabolismo no combate às doenças associadas à obesidade. Sua ação anti-inflamatória ainda reduz a acne e os furúnculos.

9 – Protege a saúde dos olhos

Seu alto teor de nutrientes ajudam na degeneração macular, melhora a cegueira noturna, protege os olhos dos danos dos radicais livres e protege a retina. Durante a Segunda Guerra Mundial, doses de mirtilo eram adicionadas à rações de pilotos da Real Força Aérea Britânica (Royal Air Force) para melhorar e apurar a visão durante os combates.

10 – Melhora as funções cerebrais

O blueberry promove a saúde do sistema nervoso central e previne a perda das funções cognitivas.

Observação

O mirtilo é considerado uma planta muito segura.

Referências:
Basu, Arpita, et al. “Blueberries decrease cardiovascular risk factors in obese men and women with metabolic syndrome.” The Journal of nutrition 140.9 (2010): 1582-1587.
Kalt, Wilhelmina, et al. “Identification of anthocyanins in the liver, eye, and brain of blueberry-fed pigs.” Journal of agricultural and food chemistry 56.3 (2008): 705-712.
Roopchand, Diana E., et al. “Blueberry polyphenol-enriched soybean flour reduces hyperglycemia, body weight gain and serum cholesterol in mice.” Pharmacological research 68.1 (2013): 59-67.

Comentários

Comentar