Cacau: benefícios e propriedades medicinais

O cacau é encontrado no cacaueiro (Theobroma cacao), sendo também conhecido como cocao, cacao e chocolate. Pertence a família Sterculiaceae.

Benefícios do cacau

O chocolate aumenta os níveis de serotonina no cérebro, um neurotransmissor que ajuda a regular o humor e comportamento. Um relatório de 2008 da Nutritional Neuroscience demonstrou a capacidade do cacau para melhorar a saúde mental. O extrato diminuiu os sintomas da depressão sem apresentar efeitos colaterais. Possui também altos níveis de gordura, o que eleva os níveis de endorfina no sangue, produzindo uma sensação de prazer semelhante a de quando as pessoas estão apaixonadas.

Segundo o Departamento de Agricultura dos EUA, o cacau não processado é o alimento com maior capacidade antioxidante, o que o torna capaz de combater os radicais livres que prejudicam a saúde do organismo.

O cacau dilata a artéria coronária, aumentando o fluxo de sangue para o coração e, de acordo com uma pesquisa realizada em 2011, produtos naturais contendo extrato de cacau podem eventualmente reduzir a pressão arterial. Um ensaio clínico de 2010 publicado no British Journal of Nutrition analisou o impacto do cacau sobre a pressão arterial em adultos saudáveis. Os participantes receberam duas doses diferentes de chocolate amargo contendo cacau. Em ambos os tratamentos houve redução na pressão arterial diastólica e sistólica, sendo observado uma resposta idêntica em indivíduos obesos e normais.¹

A manteiga de cacau é usada para fazer loções, bálsamos para o lábio, cosméticos, cremes para tratar queimaduras. O óleo protege a pele e tem uma vida útil muito longa quando condicionado em boas condições. Na culinária, as sementes podem ser consumidas se forem fermentadas e assadas. É extensamente usado em doces, bens assados, bebidas e licores.

Contraindicações e efeitos colaterais do cacau

Algumas pessoas podem sofrer azia ao consumirem produtos que contenham cacau. Considerando que o cacau contém cafeína, pode ser considerado viciador e agravar sintomas de insônia, ansiedade e irritabilidade. A retirada brusca do chocolate da dieta pode causar dores de cabeça. Mulheres grávidas devem consumir com moderação, vez que qualquer produto a base de cacau contém cafeína. O consumo excessivo de chocolate pode ser assemelhado a condições de obesidade, acne, pedras no rim, dores de cabeça e doenças do coração, devido aos altos índices de açúcares e gorduras.

O cacau e o chocolate são tóxicos para cães, devido ao alcaloide theobramina, podendo causar vômitos, letargia, tremores e urinação freqüente nos animais.

História e curiosidades

A planta é nativa da bacia do Alto Amazonas, na região onde se localizam os rios Napo, Puntumayo e Caquetá que compreende parte do territórios do Equador e da Colômbia².

A palavra chocolate origina da palavra asteca chócolatl. O nome do gênero, Theobroma, significa “comida dos deuses”. As sementes já foram usadas como moeda corrente na península de Iucatã, no México. Foram os astecas que começaram a explorar a planta com uso culinário, produzindo bebidas deliciosas, o que chamou a atenção do conquistador espanhol Hernan Cortéz em 1519. Em 1550, freiras adicionaram baunilha e açúcar ao cacau, produzindo assim o famoso e tão consumido chocolate.

Referências:
¹ The effect of polyphenol-rich dark chocolate on fasting capillary whole blood glucose, total cholesterol, blood pressure and glucocorticoids in healthy overweight and obese subjects.
² Cheesman,E.E. 1944, citado por Francisco Neto, E., 2008. (Sugestão de correção enviada por Elpídio Francisco Neto)

Comentários

Comentar