Chapéu-de-couro: benefícios e propriedades medicinais

O chapéu-de-couro (Echinodorus grandiflorus) é uma planta medicinal também conhecida popularmente como chá-de-campanha, chá-mineiro, aguapé, alismácea, erva-de-bugre, congonha-do-brejo, erva-do-brejo e erva-do-pântano. Inclui os sinônimos botânicos Alisma grandiflorum, Echinodorus floribundus, E. muricatus, E. probeacens, dentre outros.

Benefícios do chá-de-chapéu de couro

Apesar de poucas pesquisas científicas a respeito das propriedades medicinais da planta, o chapéu-de-couro é usado na medicina popular como depurativo, tônico, diurético, antirreumático, anti-inflamatório, sendo também usado para combater o excesso de ácido úrico, artrite, artrose, gota, reumatismo, sífilis e problemas estomacais e de pele. O chá de chapéu-de-couro é usado com muita aceitação na medicina popular brasileira, apesar de poucos estudos realizados sobre a eficácia do chá. Estudos não detectaram toxicidade na espécie.

Os principais constituintes químicos encontrados no gênero Echinodorus são taninos, flavonoides, triterpenos, glicosídeos, equinodorosídeos, essências e sais minerais.¹

Como fazer o chá de chapéu-de-couro

O chá de chapéu-de-couro pode ser preparado por infusão ou decocção das folhas. Para preparar uma xícara do chá, deve-se colocar uma pequena quantidade da folha picada (duas colheres de chá ou cerca de 2 à 4 gramas de folhas) em uma xícara de água. O chá deve ser fervido por poucos minutos e tomado, ou também pode ser utilizado para ser aplicado em compressas frias topicamente.

Contraindicações e efeitos colaterais do chapéu-de-couro

Não foram relatados efeitos colaterais nas bibliografias consultadas.

História e curiosidades

O chapéu-de-couro é uma planta herbácea perene, semi-aquática, nativa do Brasil, sendo encontrada principalmente no Sudeste em regiões alagadas de cerrado, sobretudo nos estados de Minas Gerais e São Paulo, porém, também pode ser encontrada no Centro-Oeste (Mato Grosso do Sul) e Sul (Paraná e Santa Catarina).

O alisma mantém suas partes inferiores imersas e suas folhas e inflorescências para fora da água. São comuns nas margens de rios, lagos, brejos e pântanos, podendo sobreviver totalmente imersas por um período de tempo e tolerar curtos períodos de seca. Possui flores brancas com manchas amareladas na parte basal, apresentando infrutescências arredondadas de coloração castanha na maturação.²

Referências:
¹ LAINETTI, R.; BRITO, N.R.S.. A saúde pelas plantas e ervas do mundo inteiro. Rio de Janeiro: Ediouro, 1980. 120p.
² PEREIRA, FLÁVIA DIONÍSIO, et al. “Propagação in vitro de chapéu-de-couro (Echinodorus cf. scaber RATAJ.), uma planta medicinal.” Ciência e agrotecnologia 24 (2000): 74-80.

Comentários

2 Comentários

  1. Israel Costa

    Usei pra algumas finalidades e notei que fez muito efeito, pra melhor…

  2. Ismael Cariri dos Santos

    Comecei tomando o chá da semente de sucupira com otimo resultado mais sou ipertenso e surgiu alguns sitomas desagradaveis tive medo e parei um pouco gostaria de saber se existe problema de contra indicação me ajudem por favor

Comentar