Fitoterápicos que amenizam os sintomas da menopausa

A isoflavona, substância presente na soja, reduz as “ondas de calor” da menopausa.

A solução para os diversos incômodos sofridos pela mulher no período da menopausa pode ter sido encontrada. Estudos recentes demostram que o uso de extratos de alguns fitoterápicos podem minimizar alguns dos sintomas comuns vividos por muitas mulheres que se encontram nessa fase da vida.

Quando ocorre a menopausa?

Geralmente, a menopausa ocorre geralmente entre os 45 e 55 anos, contudo, em alguns casos pode acontecer antes. O seu início é considerado após a data em que ocorreu a última menstruação e confirmada após um ano sem sangramento. Essa transição é chamada de climatério.

A menopausa significa que a fase reprodutiva da mulher chegou ao fim, ou seja, o processo de liberação dos óvulos que acontecia todo o mês desde a puberdade é interrompido. Os ovários não têm mais a capacidade de produzir os hormônios femininos, estrógeno e progesterona.

A queda desses hormônios pode trazer várias consequências para a saúde da mulher, sendo que nesse período que pode surgir ou agravar algumas doenças como: hipertensão, aumento do colesterol ruim, diminuição da pressão arterial e até mesmo a perda de massa óssea devido à falta do estrógeno.

Ondas de calor

A principal reclamação entre as mulheres da terceira idade é unanime, são as temidas ondas de calor, chamadas também de “fogacho”. Suor em excesso e temperatura corporal elevada principalmente durante a madrugada podem comprometer a qualidade do sono, causando assim, indisposição no dia seguinte.

Dores de cabeça intensas, dores no corpo, perda de memória, alterações de humor, infecções urinárias constantes, secura vaginal e falta de libido também são frequentes queixas.

Fitoterápicos que amenizam os sintomas da menopausa

Graças a algumas descobertas recentes, esses terríveis incômodos estão com os dias contados. Pois a ciência prova que é possível realizar um tratamento a base de plantas medicinais capaz de melhorar a qualidade de vida de forma natural e sem riscos a saúde.

O foco principal para esse tratamento são as plantas com fito hormônios, que possuem substâncias com propriedades semelhantes aos hormônios que já são naturalmente produzidos pelo organismo feminino.

A isoflavona, comumente encontrada na soja, é uma das descobertas. Ela reduz os níveis de LH (hormônio luteinizante), responsável pelos sintomas de ondas de calor, distúrbios do sono e alterações de humor.

Tanto a raiz quanto o chá de ginseng devolvem a energia e a disposição, além de acabar com a secura vaginal.

O Ginkgo biloba e a amora ajudam a equilibrar os níveis de estrogênio, aliviando assim as oscilações de humor, sintomas da depressão, melhora a concentração, minimiza os suores noturno, além de em alguns casos, aumentar o desejo sexual.

O tratamento fitoterápico bem orientado poderá trazer muito mais benefícios comparados ao feito por reposição hormonal, onde o risco de ganho de peso e doenças cardiovasculares se tornam maiores. Vale ressaltar que existem casos específicos onde recomendações médicas devem ser seguidas.

É possível viver bem com menopausa?

É possível chegar à maturidade feminina de forma saudável, sem alterar a autoestima e o bem-estar. A menopausa faz parte do ciclo de vida da mulher e não deve ser considerada uma doença, apenas deve ser tratada como uma importante fase que deve ser bem orientada para que não seja vivenciada de forma desgastante.




  • Comentar

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    RESUMO:

    Estudos recentes demostram que o uso de extratos de algumas plantas pode minimizar alguns dos sintomas comuns em muitas mulheres durante a menopausa.