Gengibre: benefícios e propriedades medicinais

O gengibre (Zingiber officinale) é uma planta medicinal também conhecida como gingibre, jengibre, zingiber, mangarataia, mangaratiá e ginger (inglês). Pertence a família Zingiberaceae.

Benefícios do gengibre

A raiz do gengibre contém grandes boas quantidades de ferro e cálcio, além de outros inúmeros componentes como o paradol e o gingerol, um poderoso antioxidante e anti-inflamatório. A aplicação do óleo em torno da área do estômago pode melhorar o sistema digestivo e auxiliar a digestão e reduzir a flatulência e o mal-estar causado por diarreia e outros fatores. Quem sofre com enjoos durante viagens pode tomar comprimidos ou cápsulas de gengibre na tentativa de regular o estômago. O gengibre estimula a mente e o corpo sem causar sonolência.

Mulheres grávidas costumam usar para aliviar dores de estômago ou náuseas, sendo que o gingerol, substância presente na erva, é muito provavelmente a responsável pelo alívio das náuseas. A própria inalação do aroma pode reduzir o enjoo em algumas pessoas.

A raiz fresca é mastigada para tratar dores de garganta. Também é utilizado para melhorar a circulação sanguínea em todas as partes do corpo. Reduz a agregação de plaquetas e inibe os problemas bioquímicos associados com as inflamações. Usado em compressas em juntas artríticas, músculos doloridos, asma e dores de cabeça causadas por hipertensão. O chá de gengibre é utilizado na homeopatia contra gripes e resfriados. O óleo essencial é usado em cremes pós-barba e perfumes.

Efeitos do gengibre em doenças de movimento

Estudos clínicos têm comprovado a validade das reivindicações, demonstrando que o extrato padronizado de gengibre é mais eficaz, tolerável e possui menos efeitos colaterais do que medicamentos farmacêuticos convencionais para doenças de movimento¹. Em um ensaio que contou com 80 novos marinheiros que estavam propensos a doenças de movimento, aqueles que tomaram o gengibre em pó apresentaram menos vômitos e suores frios em comparação com aqueles que tomaram placebo.

Um outro estudo com voluntários saudáveis teve a mesma conclusão. Contudo, um pequeno estudo onde foi dado para os participantes a raiz fresca em pó ou escopolamina (medicamento comumente prescrito para doença de movimento). A conclusão é que os voluntários que tomaram escopolamina apresentaram menos sintomas que aqueles que tomaram o gengibre, contudo, tais medicamentos podem causar efeitos colaterais em detrimento da alternativa natural, incluindo boca seca e sonolência.

Uso na culinária

O gengibre é muito utilizado na culinária japonesa e também adicionado a pães, molhos, carnes, molhos picantes, caris, peixes, dentre outros. Em bebidas alcoólicas, é acrescentado em algumas cervejas, sidras, vinhos, licores.

Contraindicações e efeitos colaterais do gengibre

Não deve ser utilizado por pessoas com problemas na pele, como acne e eczema. Também não deve ser usado por pessoas com febres muito altas, azia, hemorragia interna ou úlceras. Altas doses podem causar em algumas pessoas efeitos secundários, como vômitos, diarreia, azia, irritação da boca, dor de estômago, erupção cutânea ou urticária, coceira, inchaço na boca, face, lábios ou língua, dificuldade para respirar e batimentos cardíacos irregulares. O óleo essencial não deve ser utilizado em altas concentrações.

História e curiosidades

Em sânscrito, zingiber significa “raiz de chifre”, em referência à sua forma. Foi uma das primeiras espécies a serem levadas da Ásia para a Europa por exploradores europeus e, depois de introduzido no continente europeu por meio do comércio, rapidamente se tornou um tempero indispensável, sendo um ingrediente popular na confeitaria e culinária da época. o comércio da erva foi expandido para todas as regiões colonizadas pelo Império Romano e, mesmo após a queda de Roma, ainda continuou sendo uma especiaria muito comercializada. Henry VIII recomendou o gengibre como um remédio contra a pestilência bubônica.

Navios chineses levavam estoques de gengibres a bordo de longas viagens para prevenir escorbuto e enjoos marítimos. Os chineses recomendam esfregar a raiz cortada no couro cabelo para cessar a queda de cabelo. O gengibre é também chamado de Vishwabhesaj na Medicina Ayurveda. A espécie Zingiber officinale faz parte da Relação Nacional de Plantas Medicinais de Interesse ao SUS (RENISUS), constituída de espécies vegetais com potencial de avançar nas etapas da cadeia produtiva e de gerar produtos de interesse do Ministério da Saúde do Brasil.

Referências
¹ Careddu P. Motion sickness in children: results of a double-blind study with ginger (Zintona,) and dimenhydrinate. Healthnotes Rev 1999;6:102-107.
Grøntved, Aksel, et al. “Ginger Root Against Seasickness: A Conctrolled Trial on the Open Sea.” Acta oto-laryngologica 105.1-2 (1988): 45-49.

Comentários

Comentar