Girassol: benefícios e propriedades medicinais

O girassol (Helianthus annuus) é uma planta herbácea anual pertencente à família das margaridas, sendo a maior e uma das mais populares flores desta família. Também é conhecido como girassol-comum, girassol-selvagem, girasol (espanhol), sunflower (inglês), sonnenblume (alemão) e tournesol (francês).

Benefícios do girassol

O chá de folhas de girassol é adstringente, diurético e expectorante, sendo usado no tratamento de febres altas. Já as folhas trituradas são usadas como cataplasma em feridas, inchaço, picadas de cobra e de aranha. O chá feito a partir das flores é usado no tratamento da malária e doenças pulmonares. A floração e as sementes são febrífugas, nutritivas e estomacais. Uma decocção das raízes é bastante usada em casos de dores reumáticas. O óleo de girassol é amplamente utilizado na preparação de alimentos energéticos de alta qualidade.

A semente contém vitamina A, vitaminas do complexo B, vitamina E, cálcio, fósforo, potássio e ferro. A presença de vitamina B em grandes quantidades traz benefícios para o bem-estar psicológico, e a vitamina B1 ajuda a manter o cérebro alerta ainda que sob estresse. O consumo periódico das sementes estimula o relaxamento muscular e dos vasos sanguíneos, controlando a pressão arterial. Com é rica em magnésio, a semente do girassol auxilia a combater a dor muscular, fadiga, câimbra e enxaqueca. São responsáveis ainda por auxiliar na saúde cardiovascular, agindo eficazmente na prevenção de derrames e infartos.

Girassol e vitamina E

A vitamina E é encontrada abundantemente na semente de girassol, agindo como um poderoso antioxidante combatendo os radicais livres. A semente da planta tem sido um dos melhores alimentos e mais nutritivos, visto que a semente contém aproximadamente 23% de proteína e todos os aminoácidos essenciais em um volume significativo.

Quando se trata de gordura, uma semente de girassol contém 50% de gorduras múltiplas insaturadas, das quais a maior porcentagem é essencial para ácidos gordos linoleicos, que é um precursor de ácidos graxos ômega 6 que são altamente benéficos para reduzir o nível de colesterol no sangue.
Uma semente é altamente nutritiva e contém um alto nível de óleo. Apenas 25 gramas de sementes por dia satisfaz a necessidade diária de vitamina E. Além disso, são ótimas fontes de vários minerais, como cálcio, fósforo, magnésio, potássio e ferro.

Óleo de girassol

O óleo é feito das sementes de girassol e é uma ótima alternativa para quem busca emagrecer. Isso ocorre porque é capaz de inibir a enzima LPL, responsável por transferir a gordura circulante no sangue para células adiposas, forçando o organismo a usar o estoque de energia como fonte principal. Outra propriedade do óleo é que pode ser usado para aumentar a saúde da pele, sendo muito utilizado em hidratantes para peles sensíveis, especialmente de crianças e bebês, bem como em cremes e óleos de massagens.

Contraindicações e efeitos colaterais do girassol

O girassol geralmente é considerado como uma erva segura, seja em forma de óleo, alimentos ou remédios. Pessoas com alergia às plantas da família das margaridas devem ser cautelosas ao utilizarem a planta.

História e curiosidades

No passado, o girassol era cultivado por nativos americanos, que costumavam moer e transformar a planta em farinha, e inseri-lo no pão ou usá-lo para produção de óleo. A espécie era considerada símbolo do deus do sol porque, ao amanhecer, começava a girar suas flores em direção ao nascer do sol. Os maias o adoravam como um símbolo de luz e fertilidade e tomavam chá feito de suas folhas e consumiam as sementes, caules, folhas e pétalas.

As sacerdotisas astecas do deus do sol foram coroadas de girassóis no século XV, e no início do século XVI, os missionários cristãos espanhóis trouxeram-na para a Europa porque gostaram dela, então, a princípio, cresceu como uma planta ornamental. A espécie se espalhou por toda a Europa até o século XVII e a produção em massa começou no século XVIII na Alemanha e Rússia, posteriormente se espalhando pela Europa Ocidental e Mediterrâneo. Apenas na década de 1830 os europeus foram capaz de drenar o óleo da planta, em Saratov, no sul da Rússia.

Referências:
Mir, P. S., et al. “Effect of dietary sunflower oil and vitamin E on beef cattle performance, carcass characteristics and meat quality.” Canadian Journal of Animal Science 83.1 (2003): 53-66.
Phillips KM, Ruggio DM, Ashraf-Khorassani M: Phytosterol composition of nuts and seeds commonly consumed in the United States. J Agric Food Chem. 2005.
Sunflower – Benefits and Uses of Its Seed, Leaves and Petals. Herbal Resource.
Vogel, Dr. H.C.A.: The Nature Doctor: A Manual of Traditional and Complementary Medicine, Keats Publishing New Canaan, CT. Verlag A. Vogel, Teufen. Switzerland.

Comentários

Comentar