Semente de cártamo: benefícios das proteínas

O cártamo – Carthamus tinctorius L. é uma planta medicinal altamente nutritiva, que pode trazer benefícios ao corpo e a saúde em geral. Assim como a semente de girassol e outros vegetais, o cártamo possui sementes com boas quantidades proteína de origem vegetal, além de gorduras monoinsaturadas e calorias.

Benefícios da semente de cártamo

A semente de cártamo é moderadamente rica em proteínas, sendo que a cada de um quilo de semente de cártamo, cerca de 200 gramas são compostas de proteínas. Tal quantidade, proporcionalmente, é maior que a quantidade encontrada no leite, e um pouco inferior à quantidade encontrada nos ovos. As sementes de cártamo são ricas em ácido aspártico e arginina, dois aminoácidos que podem ter benefícios para a sua composição corporal. Um estudo indicou que o ácido aspártico pode ajudar a aumentar os níveis de testosterona, ao mesmo tempo que ajuda no ganho de massa muscular.

Já a arginina pode ajudar na redução da gordura corporal e consequente perda de peso. A semente de cártamo também possui calorias, gordura monoinsaturada (diminui as taxas de colesterol ruim e preserva as artérias, além de ser uma fonte de energia para o organismo). A semente de cártamo também possuem vitaminas, apesar de não possuírem magnésio, fósforo e potássio.

Benefícios da proteína vegetal

A proteína da semente de cártamo é importante porque assim como outras proteínas vegetais, suporta a estrutura das células e tecidos do corpo. Uma dieta rica em proteínas é essencial para manter a massa muscular e óssea, além de auxiliar na manutenção do sistema imunológico, evitar a fadiga e prevenir doenças como a osteoporose. Muitos estudos clínicos indicam que uma dieta com baixa ingestão de proteína afeta negativamente a saúde dos ossos.

A proteína de origem vegetal é muito importante para a saúde, sobretudo porque alguns estudos alegam que proteínas de origem animal podem ser prejudiciais para a saúde óssea, induzindo acidose metabólica crônica, que por sua vez seria responsável pelo aumento da calciuria (eliminação de sais de cálcio pela urina) e aumento acelerado da dissolução mineral. Nos idosos, a baixa ingestão de proteína é frequentemente observada em pacientes com fratura de quadril.

A suplementação de proteína atenua a perda óssea pós-fratura, aumenta a força dos músculos e reduz as complicações médicas durante a internação hospitalar. Uma ingestão relativamente alta de proteína, incluindo proteína de origem animal, estão associados com o aumento da massa mineral óssea e menor incidência de fraturas osteoporóticas. Proteínas dietéticas são tão essenciais como cálcio e vitamina D para a saúde dos ossos e prevenção da osteoporose

Referências:
BONJOUR, Jean-Philippe. Service of Bone Diseases, Faculty of Medicine, University of Geneva, Switzerland.
The role and molecular mechanism of D-aspartic acid in the release and synthesis of LH and testosterone in humans and rats.. Reproductive Biology and Endocrinology
Beneficial effects of L-arginine on reducing obesity: potential mechanisms and important implications for human health. Amino Acids.

Comentários

Comentar