Urtiga-branca: benefícios e propriedades medicinais

A urtiga-branca (Lamium album), é uma planta medicinal também conhecida como lâmio-branco, lamium, urtiga-morta, urtiga-de-abelha, erva-angélica, ortiga blanca e ortiga muerta (espanhol), lamii albi flos, ortie blanche e lamier blanc (francês), white dead-nettle e white nettle (inglês). Inclui os sinônimos botânicos Lamium dumeticola e Lamium petiolatum. Pertence a família Lamiaceae.

Benefícios da urtiga-branca

A urtiga-branca é uma erva adstringente e emoliente utilizada principalmente como um tônico uterino para reduzir o fluxo menstrual excessivo. É usada tradicionalmente para corrimento vaginal anormal e algumas vezes é indicada para aliviar cólicas menstruais. A infusão serve para tratar cálculos renais, diarreia, problemas menstruais, hemorragia pós-parto, descargas vaginais e prostatite. Externamente, é aplicada a hemorroidas e varizes. Um medicamento homeopático é feito a partir da urtiga-branca para o tratamento de distúrbios da bexiga, distúrbios renais e amenorreia.

A água destilada das flores e folhas é uma excelente e eficaz colírio para aliviar as condições oftálmicas. A urtiga-branca é também utilizada como um tratamento à base de plantas medicinais para leucorreia, hiperplasia benigna da próstata (HPB) e problemas gastrointestinais. Suas flores fervidas em água podem ser usadas como uma erva medicinal para o catarro e hidropisia, e as raízes cozidas em vinho como um remédio para pedras nos rins. A planta é colhida no verão e pode ser secada para uso posterior. Nos textos sobre ervas medicinais mais antigos, como o The Herball, de 1597, escrito por John Gerard, a urtiga possui uma reputação como um potenciador de vitalidade

Composição da urtiga

A Lamium album contém saponinas, mucilagem, taninos, flavonoides, flavonóis, rutina, quercetina, kaempferol (quempferol) e flavonas. A colina e a tiramina são responsáveis pela ação anti-hemorrágica da urtiga. Os flavonóis pode também contribuir para uma ação hemostática da planta.

Contraindicações e efeitos colaterais da urtiga-branca

A urtiga-branca, segundo o WebMD, é segura para todas as pessoas quando consumida via oral. Não foram relatados efeitos colaterais decorrentes do uso da urtiga-branca aplicado diretamente no pele ou em outras partes do corpo.

História e curiosidades

A urtiga-branca é uma planta medicinal nativa da Europa, Ásia, Norte da África e América do Norte. Cresce ao lado de estradas, ao longo de cercas e nas florestas entre os arbustos. A urtiga-branca é uma planta perene que atinge até 60 cm de altura. As folhas são ovais ou em forma de coração, reticulada e com veios que ocorrem na frente. Suas folhas estão em pares nas hastes, cada par perpendicular acima e abaixo dela. As hastes são quadradas e as flores são brancas com dois bordos dispostas em espiral de seis a doze flores. As flores têm dois pares de estames, um dos quais é longo e outro curto.

A urtiga-branca floresce no início da primavera e tem sua floração durante o verão. As suas flores possuem uma boa oferta de pólen, e, portanto, atrai muitas abelhas, contudo, quando machucadas tem um cheiro forte e desagradável. A espécie Lamium album faz parte da Relação Nacional de Plantas Medicinais de Interesse ao SUS (RENISUS), constituída de espécies vegetais com potencial de avançar nas etapas da cadeia produtiva e de gerar produtos de interesse do Ministério da Saúde do Brasil.

Referências:
Lamium album. Southern Cross University.
Chevalier A. 2001. Encyclopedia of Medicinal Plants. Revised edn. NSW, Australia: Dorling Kindersley. p.225.
McGuffin M, Hobbs C, Upton R, Goldberg A (eds). 1997. American Herbal Products Association’s Botanical Safety Handbook. New York: CRC Press.
Lamium album (white dead-nettle) | Plants & Fungi At Kew. Royal Botanical Gardens.

Comentários

Comentar